INAC Homepage  

FAQs

20. Possuo uma Qualificação de Instrutor - Quais as consequências da aplicação das novas regras à minha Qualificação?

A qualificação de instrutor passa a designar-se certificado de instrutor, mantendo-se o averbamento na licença, em espaço específico.

Se possui qualificação de instrutor de uma licença JAR, (por exemplo, FI, CRI, SFI, ou TRI) para classe(s) ou tipo(s) de aeronave EASA, as qualificações serão assumidas para a licença PARTE-FCL desde que estejam válidas à data da conversão de licença.

A renovação / revalidação posterior será de acordo com a regulamentação PARTE-FCL.

Se é titular de uma qualificação de instrutor de uma aeronave não EASA (ultraleves como exemplo), quer dizer que terá de ver esses privilégios descriminados numa licença nacional, não havendo alterações à situação atual.

De salientar uma alteração referente às aeronaves SPHPCA – Single-Pilot High Performance Complex Aircraft, ou seja, Aeronaves Monopiloto Complexas de Alta Performance:
Com a JAR-FCL os instrutores desta categoria de aeronave, eram qualificados como CRI - Classe Rating Instructors.

Com a regulamentação EASA, a partir de 8 de abril de 2013, estes instrutores passam a ser certificados como TRI - Type Rating Instructors, distinguindo-se dois tipos de TRI
a) TRI(SPA) – Type Rating Instructor (Single-Pilot Aircraft), no caso de treino para operações monopiloto.
b) TRI – Type Rating Instructor, no caso de treino para operações multipiloto.